CBV promove Laboratório de Detecção de Talentos com 80 jovens atletas

Publicado em: 21/01/2020 16:17
?20200225125011
Juba e Kadylac observam treino dos jovens atletas (Créditos: Divulgação/CBV)

Oitenta jovens atletas sonhadores, dando os primeiros passos no vôlei, passarão pela casa oficial da modalidade no Brasil entre os dias 15 e 29 de janeiro. O Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), recebe meninos e meninas que já passaram por um primeiro período de observação, através do Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS), Campeonato Brasileiro Interclubes (CBI), Jogos Escolares, entre outros campeonatos regionais, e que agora são avaliados por treinadores das seleções de base.

O Laboratório de Detecção de Talentos, realizado pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB), ainda envolve atletas descobertos por meio do Programa de Recrutamento de Talentos, realizado de forma online, através do site da CBV.

Nesta etapa em Saquarema os atletas são divididos em dois grupos. Primeiro, entre os dias 15 e 22, são avaliados 40 jovens, sendo 20 em cada naipe. Depois de 22 a 29 chega um novo grupo, com mais 40 atletas. As equipes masculinas contam com nascidos a partir de 01/01/2003, com idades variando entre 16 e 17 anos, enquanto as femininas com nascidas a partir de 01/01/2004, com idades entre 15 e 16 anos.

Os jogadores passam pela experiência de treinarem com os técnicos das seleções de base e alguns ligados, também, as seleções adultas. Os meninos trabalham com os técnicos Luiz Carlos Rodrigues, o Kadylac, Giuliano Ribas, o Juba, e Luciano Sobrinho. As meninas são treinadas por Hairton Cabral e Fábio Simplício, que vão se dividir entre os dois grupos, Abel Martins e Evelton Bóllico.

Para Kadylac, o grupo que está no CDV vem correspondendo ao esperado. Segundo o treinador, há potencial e qualidade nos jovens atletas selecionados.  

“Essa é uma geração que apresenta um componente físico muito bom, principalmente os ponteiros, com boa estatura. Eles têm um bom domínio técnico, e certamente é grupo que vem com bastante potencial comparado a gerações de anos anteriores. Serão duas semanas aqui, a primeira um grupo mais rodado, que já conhecemos em 2019. A partir da segunda semana um grupo com potencial, que tem bons jogadores que irão nos ajudar nessa caminhada rumo ao Sul-Americano”,

Responsável pela avaliação do primeiro grupo, Hairton Cabral está bastante entusiasmado com o que vem assistindo nos treinos em Saquarema.

“Essa é uma geração que eu recruto como uma das melhores que eu vi nos últimos tempos. Desde o ano passado que venho acompanhando essa categoria e teve uma renovação para melhor ainda. A expectativa é muito boa. É um grupo que surpreende não só na parte física, mas na qualidade técnica também, sem contar no biotipo. É uma equipe que conta com jogadoras muito altas, de um potencial muito bom. Tenho certeza de que essa geração vai dar bons frutos para o voleibol brasileiro”, afirmou Hairton.

Segundo a gerente de Seleções da CBV, Julia Silva, o projeto do Laboratório de Detecção de Talentos vem sendo uma importante ferramenta para as seleções de base.

“Este é o terceiro ano que realizamos este projeto do Laboratório com a ajuda do Comitê Olímpico do Brasil. Sem dúvidas, é um projeto muito importante para realizarmos uma avaliação inicial de potenciais atletas das nossas seleções sub-18 e sub-19. Neste ano, teremos 80 atletas sendo avaliados pelas nossas comissões técnicas aqui em Saquarema. Além dos treinamentos, estamos realizando avaliações físicas e palestras. Nossa intenção é expor os atletas à realidade do dia-a-dia da seleção. Este projeto se tornou o mais importante para as nossas categorias de base”, concluiu Julia.

VÍDEO:

https://www.youtube.com/watch?v=9oq8vHRW9ao

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais