Brasil é superado pelo Japão na segunda rodada

Publicado em: 14/07/2019 00:34
Brasil precisa de uma vitória para avançar na competição (Créditos: Getty Image/FIVB)

A seleção feminina sub-20 do Brasil não conseguiu manter a invencibilidade na segunda rodada do Mundial da categoria, que acontece no México. No duelo pela liderança do grupo D, neste sábado (13.07), as brasileiras lutaram bastante, mas acabaram superadas pelas japonesas por 3 sets a 0 (24/26, 22/25 e 19/25), em Aguascalientes (MEX). A maior pontuadora do duelo foi a oposta brasileira Kisy Nascimento, com 19 acertos. A partida ficou interrompida por pouco mais de três horas em razão da forte chuva que atingiu a região.

A interrupção aconteceu no final do primeiro set quando o Brasil vencia por 21 a 17. Uma parte do forro de gesso do teto do ginásio se rompeu, acarretando a entrada de uma correnteza de água da chuva que alagou a quadra de jogo. Até a parada forçada as brasileiras estavam impondo o saque, e iam muito bem na virada de bola.

No retorno, foram as japonesas que começaram a jogar melhor, com mais volume defensivo e um saque eficiente. O Brasil seguia firme apenas no bloqueio (com 16 pontos neste fundamento). Apesar de todo o esforço do time verde e amarelo, a vitória ficou do lado japonês. A seleção brasileira começou o jogo com a oposta Kisy, a levantadora Kenya, as centrais Laura Kudiess e Daniela Seibt, as ponteiras Ana Cristina e Júlia Bergamann, e a líbero Letícia. Entraram as ponteiras Tainara e Mayara, a oposta Jheovana e a levantadora Rose.

O Brasil agora está na segunda posição do grupo D e precisa de uma vitória na terceira e última partida da primeira fase para avançar na competição. O confronto será contra a seleção de Ruanda, neste domingo (14.07), às 17h (hora de Brasília).

O Mundial sub-20 feminino reúne 16 equipes divididas em quatro grupos com quatro seleções em cada, que jogam entre si na primeira fase. Os dois melhores de cada grupo se classificam para a etapa seguinte onde mais dois grupos de quatro participantes serão formados. Depois de novos confrontos dentro de cada grupo, os dois melhores em cada um avançam para as semifinais. A grande decisão será no dia 21 de julho. Na primeira fase, no grupo D, o Brasil enfrenta a República Dominicana, o Japão e Ruanda.

A seleção feminina Sub-20 do Brasil tem um bom retrospecto em campeonatos mundiais nesta categoria. As brasileiras acumulam 13 medalhas ao longo da história da competição (seis ouros, cinco pratas e dois bronzes). Na edição passada, em 2017, as brasileiras ficaram com a quinta posição. A última vez que as meninas do Brasil subiram ao lugar mais alto do pódio foi na Tailândia em 2007.

MUNDIAL SUB-20 FEMININO

Grupo A – México, Cuba, Itália e Estados Unidos

Grupo B – Egito, Peru, China e Polônia

Grupo C – Argentina, Sérvia, Rússia e Turquia

Grupo D – BRASIL, República Dominicana, Japão e Ruanda

TABELA GRUPO D

12.07 (SEXTA-FEIRA) BRASIL 3x0 República Dominicana (25/12, 25/11 e 25/20)

13.07 (SÁBADO) BRASIL 0x3 Japão (24/26, 22/25 e 19/25)

14.07 (DOMINGO) BRASIL x Ruanda – às 17h (hora de Brasília)

SELEÇÃO FEMININA SUB-20

1 – Rose Evaristo – levantadora – 1,75m – 18 anos

3 – Laura Kudiess – central – 1,88m – 18 anos

4 – Júlia Kudiess - central – 1,89m – 16 anos

6 – Julia Bergmann – ponteira – 1,96m – 18 anos

7 – Daniela Seibt – central – 1,90m – 19 anos

8 – Jheovana Sebastião - oposta – 1,94m – 18 anos

9 – Kisy Nascimento – oposta – 1,90m – 19 anos

10 – Tainara Santos – ponteira – 1,90m – 19 anos

11 – Mayara Barcelos – ponteira – 1,82m – 18 anos

13 – Kenya Malachias – levantadora – 1,85m – 18 anos

18 – Ana Cristina Menezes – ponteira – 1,92m – 15 anos

20 – Letícia Moura – líbero – 1,59m – 16 anos

HISTÓRICO DO BRASIL NO MUNDIAL SUB-20 FEMININO

13 MEDALHAS (6 ouros/5 pratas/2 bronzes)

1987 (Coreia do Sul) – Ouro

1989 (Peru) – Ouro

1991 (Tchecoslovaquia) – Prata

1995 (Tailândia) – Prata

1999 (Canadá) – Prata

2001 (Rep Dominicana) – Ouro

2003 (Tailândia) – Ouro

2005 (Turquia) – Ouro

2007 (Tailândia) – Ouro

2009 (México) – Bronze

2011 (Peru) – Prata

2013 (Rep Tcheca) – Bronze

2015 (Porto Rico) - Prata

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

 


Parceiros Oficiais