Duplas convocadas seguem com preparação no CDV, em Saquarema

Publicado em: 07/06/2019 15:32
Treinamentos realizados em Saquarema, no CDV (Créditos: Divulgação/CBV)

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) – 07.06.2019

O Brasil é o maior vencedor do Campeonato Mundial Sub-21 de vôlei de praia, e a preparação para manter os bons resultados no torneio, que ocorre novamente nesta temporada, segue forte no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ). As duplas convocadas realizam desde a última segunda (03.06) treinamentos na ‘casa do voleibol’, e os treinadores das categorias de base fizeram um balanço do planejamento.

Disputado atualmente de dois em dois anos, o Mundial Sub-21 acontecerá em 2019 de 18 a 23 de junho, na cidade de Udon Thani (Tailândia). O Brasil defenderá títulos nos naipes masculino e feminino, tendo vencido em 2017 com Adrielson/Renato e Duda/Ana Patrícia. Ao todo, são 14 títulos, sendo seis no masculino e oito no feminino.

No naipe masculino, as duplas convocadas são Rafael/Renato (PB), que partirão da fase de grupos, e Lázaro Lyan/Gabriel Zuliani (GO/RJ), que disputarão o classificatório, buscando uma vaga no torneio. Renato, de 19 anos, é o mais experiente. Ele já venceu os Mundiais Sub-19, em 2016, ao lado de Rafa Mendonça (PR), e o Sub-21, em 2017, com Adrielson. Pela primeira vez, porém, atuará ao lado do irmão gêmeo Rafael Lima, que assim como Lyan, é estreante em Mundiais de base. Eles serão comandados pelo técnico Robson Xavier. O treinador comentou a preparação e avaliou os principais adversários no cenário internacional.

“O Brasil vem de uma sequência boa de títulos, é sempre um trabalho duro, pois se manter no topo é mais complexo do que vencer uma única vez. Estamos nos preparando desde o início do ano, Rafael e Renato já treinam juntos, na Paraíba, e investimos em Lyan e Zuliani. São duas duplas boas, o Renato já é campeão mundial Sub-19 e Sub-21, mas no geral, são todos jovens que estão participando de torneios da CBV, de eventos internacionais. Conseguimos dar rodagem, Zuliani foi aos Jogos Olímpicos da Juventude, ao Mundial Sub-19, Lyan já avançou em etapas do Circuito Brasileiro, tem se firmado no cenário nacional adulto. São garotos fortes, que estão trabalhando muito firme. Rafael/Renato possuem um pouco mais de experiência, fizeram uma temporada excelente, treinam juntos, uma equipe muito bem entrosada, e Lyan/Zuliani sendo bem preparados”, disse Robson, que completou.

“Estamos dando uma ênfase na preparação técnica, trabalhando algumas jogadas táticas e fazendo eles se ambientarem, prepararem o lado mental para o campeonato. Temos muitos adversários fortes, a Rússia talvez seja a principal delas, disputou a final em 2017 contra nós, estão mais experientes, rodando algumas etapas do Circuito Mundial. As duplas da Suécia, campeã dos Jogos Olímpicos da Juventude, e da Holanda e Argentina também são extremamente fortes. Não será fácil, mas nunca foi fácil. Estamos trabalhando muito para jogarmos bem e o resultado será consequência. Qualidade técnica e a preparação adequada estamos tendo”, analisou o técnico das categorias de base masculina de praia.

No naipe feminino as convocadas são Victoria/Vitoria (MS/RJ), que partem da fase de grupos, e Thamela/Ingridh (ES/PR), que terão que vencer o classificatório para conseguir uma vaga no torneio. Victoria já foi campeã do Mundial Sub-19, em 2016, jogando com Duda, além de ter disputado duas edições de Mundiais Sub-21, mesmo número de Vitoria. Thamela representou o Brasil no Mundial Sub-19 do ano passado, além dos Jogos Olímpicos da Juventude, enquanto Ingridh é a estreante em Mundiais de base entre as convocadas.

O treinador das categorias de base do naipe feminino, Marcelo Carvalhaes, o ‘Big’, comentou o trabalho desenvolvido e as vantagens da concentração em Saquarema.

“Começamos com oito meninas na primeira convocação, e na reta final ficamos com Thamela/Ingridh e Victoria/Vitoria, que se apresentaram na última segunda-feira. Teremos cerca de dez dias de treinamento em Saquarema e um período de atividades também na Tailândia, com alguns amistosos. Estamos aproveitando a concentração em Saquarema para realizar treinos de manhã e tarde, fisioterapia, estudo de vídeos, para que elas tenham as melhores condições”, disse Big, que completou.

“Thamela e Ingridh já jogam juntas no Circuito Brasileiro, possuem um bom entrosamento, e estamos buscando lapidar ainda mais detalhes técnicos, táticos e físicos. Já Victoria e Vitoria são duas jogadoras de fundo, mas possuem uma experiência muito grande, apesar da pouca idade, estão totalmente consolidadas no Circuito Brasileiro. Elas terão um revezamento no bloqueio, são duas meninas guerreiras, com ótima leitura de jogo, tenho muita confiança nas duas duplas. Saquarema é a casa do voleibol, temos tudo aqui, quanto mais tempo passamos aqui, melhor para nós, mais nos fortalecemos”.

As duplas permanecem em Saquarema até o dia 13 deste mês, quando viajam para a Tailândia. A definição dos grupos acontece após a disputa do classificatório, no dia 18. O torneio conta com 32 times em cada naipe, divididos em oito chaves de quatro. Os três melhores de cada grupo avançam para a fase eliminatória, com repescagem, oitavas de final, quartas de final, semifinais e disputa de bronze e ouro.

TODOS OS CAMPEÕES MUNDIAIS SUB-21:

Masculino
2001 - França - Pedro Cunha/Anselmo (BRA)
2002 - Itália - Pablo Herrera/Raul Mesa (ESP)
2003 - França - Pedro Cunha/Pedro Solberg (BRA)
2004 - Portugal - Angel Amo/Inocencio Lario (ESP)
2005 - Brasil - Plavins/Samoilovs (LET)
2006 - Polônia - Bruno Schmidt/Pedro Solberg (BRA)
2007 - Itália - Giontella/Nicolai (ITA)
2008 - Inglaterra - Giontella/Nicolai (ITA)
2009 - Inglaterra - Kadziola/Szalankiewicz (POL)
2010 - Alanya - Garrett May/Sam Schachter (CAN)
2011 - Canadá - Popov/Samoday (UCR)
2012 - Canadá - Kantor/Losiak (POL)
2013 - Croácia - Allison/Guto (BRA)
2014 - Chipre - Michal Bryl/Kacper Kujawiak (POL)
2016 - Suíça - Arthur Lanci/George Souto (BRA)
2017 - China - Adrielson/Renato (BRA)

Feminino
2001 - França - Shaylyn/Maria Clara (BRA)
2002 - Itália - Juliana/Taiana (BRA)
2003 - França - Morozova/Shiryaeva (RUS)
2004 - Portugal - Taiana/Carol (BRA)
2005 - Brasil - Carol/Camillinha (BRA)
2006 - Polônia - Carol/Bárbara Seixas (BRA)
2007 - Itália - Lili/Bárbara Seixas (BRA)
2008 - Inglaterra - Van Iersel/Remmers (HOL)
2009 - Inglaterra - Brzostek/Kolosinka (POL)
2010 - Alanya - Roenicke/Ross (EUA)
2011 - Canadá - Betchart/Heidrich (SUI)
2012 - Canadá - Betschart/Verge-Depre (SUI)
2013 - Croácia - Kociolek/Gruszczynska (POL)
2014 - Chipre - Sophie Bukovec/Tiadora Miric (CAN)
2016 - Suíça - Duda/Ana Patrícia (BRA)
2017 - China - Duda/Ana Patrícia (BRA)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais