Atleta mais experiente e brasileira radicada nos EUA avançam em São Luís (MA)

Publicado em: 24/01/2019 16:09
Disputas em São Luís (MA) ocorrem até domingo, na arena Domingos Leal (Créditos: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)

Em São Luís (MA) – 24.01.2019

O encontro da experiência e da juventude não é novidade no vôlei de praia, mas segue produzindo resultados. Foi assim mais uma vez nesta quinta-feira (24.01), na disputa do classificatório feminino da etapa de São Luís (MA) do Circuito Brasileiro Open 2018/2019. Entre as oito duplas que garantiram vaga à fase de grupos estava a atleta mais experiente do torneio, Luiz Amélia (CE), 44, e ao seu lado Victoria (CE), 23 anos.

Os duelos continuam e, nesta sexta-feira (24.01), além da fase de grupos do torneio feminino, que começa às 9h (horário de Brasília), também ocorrem jogos das oitavas e quartas de final do naipe masculino. As partidas seguem até 18h, com entrada franca na arena montada na Lagoa da Jansen, e os duelos da quadra central contam com transmissão ao vivo pelo Facebook da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

O classificatório contou com 16 duplas lutando por oito vagas em jogos eliminatórios diretos. Além de Luiza Amélia/Victoria (CE), avançaram à fase principal as duplas Teresa/Thais (CE/RJ), Fabrine/Pity (BA), Amanda Maltez/Eunyce (RJ/AL), Jéssica/Rafaela (PA), Ingridh/Thamela (PR/ES), Lu/Alana (SP/RN) e Cris/Haissa (SP/MS).

Luiza Amélia comentou a parceria com Victoria ‘Tory’ Paranagua, brasileira com nacionalidade norte-americana. Atleta mais experiente entre as 48 atletas do naipe feminino, a cearense comentou a expectativa por voltar a São Luís e poder auxiliar a jovem parceira.

“A Victoria é sobrinha de uma amiga, uma companheira de uma equipe máster de quadra da qual eu participo. Cerca de quatro anos atrás ela veio para Fortaleza, disse que queria treinar e jogar vôlei de praia. Nos reencontramos agora, estava já parada, não queria atuar mais, mas fui convencida a atuar com ela. Tentei passar um pouco da minha experiência, ajudar no que posso, Victoria é uma pessoa dedicada, que quer muito, escuta. Gosto muito de São Luís (MA), tenho boas lembranças e espero que a gente se divirta amanhã”, disse Luiza.

Victoria, 23 anos, vive com a família nos EUA desde os nove anos de idade. Lá, cursou comunicação e jogou voleibol de quadra e praia em colégios e universidade, e posteriormente disputou eventos como a AVP e o p1440, principais ligas do país. Agora, a cearense quer conquistar seu espaço também nos torneios brasileiros, mas diz ainda não saber qual país defenderia em uma etapa de Circuito Mundial

“É a minha primeira vez jogando aqui em São Luís (MA) e também minha primeira classificação à fase de grupos do Open. Foi ótimo ter o auxílio da Luiza, ela tem muita experiência, conhece os atalhos do esporte e passou bastante tranquilidade. Joguei torneios nos EUA, mas principalmente com garotas da minha faixa etária, um estilo um pouco diferente. Creio que aqui vou conseguir ainda mais bagagem”, disse a cearense, que completou.

“Joguei contra Juliana e Andressa no evento dos EUA, e agora estamos treinando em Fortaleza (CE), no mesmo local. O mundo é pequeno. Sobre a nacionalidade, é difícil decidir, ainda estou pensando o que fazer. Posso defender os EUA ou o Brasil, sonho em jogar em alto nível, no Circuito Mundial, mas ainda não consegui definir como será. Os torneios nacionais permitem que eu jogue tanto lá como aqui, mas uma hora terei que escolher. Passei metade da vida em cada país, então é bastante difícil”.

As oito equipes classificadas se juntam nesta sexta-feira aos 16 times que já estavam garantidos pelo ranking de entradas, completando as 24 equipes para a disputa da fase de grupos. Os três melhores de cada chave avançam para a segunda fase, quando a competição segue com oitavas de final, quartas de final, semifinais e disputas de medalha.

Já estavam garantidas pelo ranking as duplas Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ), Ágatha/Duda (PR/SE), Carol Solberg/Maria Elisa (RJ), Tainá/Victoria (SE/MS), Talita/Taiana (AL/CE), Juliana/Andressa (CE/PB), Josi/Neide (SC/AL), Carolina Horta/Ângela (CE/DF), Vivian/Vitoria (PA/RJ), Val/Érica Freitas (RJ/MG), Izabel/Thati (PA/PB), Aline/Juliana Simões (SC/PR), Naiana/Diana (CE/RJ), Flávia/Bárbara Ferreira (RJ) e Sandressa/Rosimeire Lima (AL).

Na primeira etapa da temporada, disputada em setembro de 2018, em Palmas (TO), Hevaldo/Arthur Lanci (CE/PR) e Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) ficaram com a medalha de ouro. Já na segunda parada, disputada no mês de outubro, em Vila Velha (ES), títulos para Guto/Saymon (RJ/MS) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ). Em Campo Grande (MS), em novembro, ouro de Pedro Solberg/Bruno Schmidt (RJ/DF) e Ágatha/Duda (PR/SE).

Além das duplas campeãs de cada etapa, também existem os campeões gerais da temporada, somando a pontuação obtida nos sete eventos. A competição distribui R$ 45 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são distribuídos quase R$ 500 mil por etapa.

VEJA OS RESULTADOS DO DIA NO NAIPE FEMININO
http://www.aplicativoscbv.com.br/circuitobb/tabopen/tabelatodas.asp?site=38&sexo=F

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais