Laboratório com 40 jovens chega ao fim no CDV com balanço positivo

Publicado em: 07/02/2018 16:02
Meninas que se destacaram na Taça Potengi de Lucena estiveram no CDV para laboratório (Créditos: Divulgação/CBV)

Após duas semanas de intensas atividades, chegou ao fim nesta quarta-feira (07.02) o laboratório realizado com quarenta jovens atletas de voleibol no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ). Os vinte meninos e as vinte meninas foram selecionados durante da realização das Taças Sami Mehlinsky (masculino) e Potengi de Lucena (feminina), em dezembro de 2017, e participaram de uma série de treinos e palestras com integrantes das seleções brasileiras de base.

O objetivo do projeto é a identificação de talentos e conhecer melhor aqueles atletas com potencial para representar o Brasil em competições internacionais. Responsável por avaliar o elenco masculino, o técnico Luiz Carlos Rodrigues da Silva, o Kadylac, elogiou a iniciativa.

“Nessas duas semanas tivemos um contato direto com esses jovens que são talentos oriundos de várias partes do Brasil. Pudemos mostrar um pouco da rotina das seleções de base. certamente este período colabora na formação deles como jogadores e cria uma expectativa de retorno futuro. Foram 20 jovens aqui e muitos deles participarão dos Campeonatos Brasileiro de Seleções (CBS), quando continuaremos esta observação. Conseguimos conversar individualmente com eles e apontar o que pode ser melhorado em relação às partes física e técnico. Iremos também dar um retorno aos técnicos nos clubes de cada um, que são os grandes responsáveis pela lapidação destes talentos”, disse Kadylac.

No comando das atividades das meninas, o técnico Alexandre Gomes revelou que o processo começou com alguns ajustes no posicionamento e na execução dos fundamentos por parte das atletas, mas que a evolução ao final do período foi bastante satisfatória.

“Esta foi uma excelente iniciativa. Foi muito importante para o voleibol brasileiro ter esta busca por jovens com potencial. No início precisamos corrigir algumas posturas corporais e de movimentos. Orientamos as atletas como se comportar em quadra, ter postura tática. Elas precisaram se adaptar a esta nova rotina no começo, mas percebemos evolução, principalmente na segunda semana. Tenho certeza que elas saíram daqui com outra perspectiva. É muito importante ter este tipo de intercâmbio”, comentou Alexandre Gomes.

Em 2018, o objetivo das seleções de base do voleibol brasileiro se concentra nos torneios Sul-Americanos que servem de classificatório para os mundiais de cada categoria. A primeira convocação está prevista para junho.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro.


Parceiros Oficiais